Achavas mesmo que me ias ver chorar?

Esta é a última vez que te escrevo. És um capítulo que quero bem encerrado para que possa começar um novinho em folha sem vestígios de ti e cheio de mim. As atitudes falam bem mais alto que as palavras e, por isso, não há grande coisa a dizer, pois não? Só te pergunto isto: achavas mesmo que me ias ver chorar, que me ias fazer querer ficar fechada no meu quarto, que me ias afastar do resto do mundo e dos meus sonhos mais bonitos mesmo sem já não estares aqui para me prender e limitar como fizeste durante tanto tempo?

Pensaste mal, meu amor. Em todos os cenários possíveis e imaginários, pensaste mal. Se o teu objetivo era fazer-me voltar a correr e aos saltos, pensaste mal, só me fizeste ir embora mais rápido. Se o teu objetivo era ficares bem na fotografia, pensaste mal, só ficaste ridículo (e de que maneira!). Se o teu objetivo era deixar-me infeliz com a tua felicidade, pensaste mal, desejo para ti apenas e só o que desejas para mim. Para a azia recomenda-se rennie e nada mais, aprende, tudo o resto só te fica mal.

Mandar-te embora foi a coisa mais assustadora que fiz em toda a minha vida, mas hoje sei que também foi a mais certa. Obrigada por me teres tirado as dúvidas com o teu orgulho e a tua pressa de pareceres (em vez de estares) bem. O valor de alguém vê-se na forma como nos tratam quando já não precisam de nós e o teu revelou estar abaixo de zero.

– Raquel Simões

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s